[MaryKayLogo.AlternateText]Voltar à Página Inicial
x Utilizamos as cookies e outras ferramentas similares para ajudar a descobrir aquilo que mais gosta na Mary Kay. Ao continuar a utilizar este site, consente a utilização das cookies no seu dispositivo, a menos que as desactive. Pode alterar a definição das suas cookies utilizando as definições do seu browser de internet a qualquer momento, no entanto, parte do nosso site pode não funcionar correctamente sem a utilização das mesmas.

DIRECT SELLERS

O Que é a Venda Directa?
A venda directa é uma forma de vender produtos ou serviços directamente ao cliente fora de um local comercial. Um negócio de venda directa permite comunicar com os clientes individualmente, em grupo, através de vendas on-line, por meio de vendas de catálogo ou por telefone. As pessoas na indústria de venda directa são conhecidos como consultores independentes, distribuidores ou representantes.

A oportunidade da venda directa é uma opção viável para pessoas de qualquer idade, sexo e nível económico. Esta é uma fantástica possibilidade, especialmente para mulheres que pretendam mais flexibilidade e controle nas suas vidas, como para quem tenha:

  1. Espírito empresarial.
  2. Gosta de trabalhar com as pessoas.
  3. Deseja um ambiente de trabalho menos estruturado.
  4. Vontade de entrar sem ter de fazer um grande investimento.
  5. Ganhos Ilimitados.

 

Sobre o Negócio de Venda Directa
Estamos muito orgulhosos por fazer parte da Associação de Venda Directa. Para conhecer o código de ética da Associação de Venda Directa clique por favor em, www.dsa.org/ethics/.

DSA (Direct Sellers Association)
A Associação de Venda Directa é uma associação comercial amplamente reconhecida em empresas de manufactura dos EUA e distribuidores de produtos e serviços vendidos directamente aos consumidores através de uma força de vendas independente. A Mary Kay tem sido um membro da DSA (Direct Sellers Association), desde 1970, além disso, os próprios  executivos da Mary Kay, participaram nesta organização.

O Código de Ética
O Código de Ética é a pedra angular do compromisso do código de práticas éticas de negócios e serviços para os consumidores na Seldia. Este código garante que as declarações feitas por membros da sociedade são expressas com honestidade e integridade. Na década de 90, os executivos da Mary Kay deram um passo adiante e desempenharam um papel fundamental no fortalecimento do código para proteger os consumidores e membros da força de vendas independentes da indústria. Como condição para entrar e manter os seus membros, cada elemento inscrito (empresas) concordaram em cumprir as normas e procedimentos do código. O Código assegura à força de vendas independente e AOS consumidores, que a empresa é séria sobre o fornecimento de qualidade e serviço ao mais alto nível.

Mary Kay e o IPVD (Instituto Português de Venda Directa)
A Mary Kay Portugal é membro do IPVD. O IPVD tem por missão pugnar pela transparência das transacções comerciais realizadas entre os Agentes da Venda Directa e os Consumidores, através de três pilares determinantes que garantem um saudável desenvolvimento económico e social. Saiba mais em: http://www.ipvd.pt.

Elementos Chave do Código de Ética das Empresas de Venda Directa, no que respeita à protecção ao Consumidor e ao Agente de Venda Directa:

Protecção ao Consumidor.

1 - Transparência

• Os Agentes de Venda Directa deverão identificar-se, assim como aos produtos e à empresa, e mencionar a adesão da empresa ao IPVD - Instituto Português de Venda Directa (Associação).

• Os Agentes de Venda Directa devem ser honestos, de confiança e estar disponíveis para o consumidor.

• Os consumidores devem receber uma nota de encomenda clara e por escrito, contendo todas as provisões do contrato (descrição e número de produtos, preços e termos de pagamento, direitos de devolução e garantias).

2 - Informação de Produto
• Os produtos e termos de venda deverão ser descritos e apresentados de uma forma clara e honesta.

3 - Período de Reflexão
• O consumidor tem o direito de pensar melhor na compra efectuada (período de reflexão) e de cancelar a encomenda dentro de um período especificado de tempo, caso seja essa a sua decisão. Se o consumidor já tiver recebido os bens, poderá, dentro desse referido período de tempo, devolvê-los e receber o reembolso integral da quantia paga.

4 - Garantia de Qualidade e Serviço Pós – Venda

• Todos os produtos que forem sujeitos a uma garantia deverão ter essa garantia claramente explicada e fornecida por escrito.

 

• Os produtos que não estejam de acordo com os critérios de qualidade deverão ser substituídos, trocados por outros de igual valor ou efectuado o reembolso.
 

5 - Respeito pela Privacidade
• Os Agentes de Venda Directo não deverão estabelecer contactos com os consumidores em momentos ou de forma a poderem ser considerados abusivos.

• Os Agentes de Venda Directa deverão interromper a sua apresentação, se isso lhes for pedido.

6 - Resolução de litígios
• Aos consumidores é garantido um processo de mediação, sem custos, no caso de reclamações que não sejam resolvidas por uma empresa de venda directa.

 

Protecção ao Agente de Venda Directa

1 - Transparência
• Os Agentes de Venda Directa deverão receber informação precisa e completa da empresa, dos seus produtos e da oportunidade de negócio [incluindo direitos e obrigações legais, custos e despesas usuais).

• Os Agentes de Venda Directa deverão receber e assinar um contrato escrito com a empresa para distribuir os produtos desta.

2 - Recrutamento
• A empresa e os Agentes de Venda Directa não deverão usar práticas de recrutamento enganosas, ilusórias ou desonestas.

• As afirmações relativas a lucros e todas as vantagens relacionadas com a oportunidade de negócio deverão ser factuais e documentadas.

    3 - Investimento no Negócio
    • O investimento inicial ou quota para participar na oportunidade de negócio deverá corresponder a um custo razoável e usufruir do direito de cancelamento.

4 - Inventário e Política de Devolução
• Quando um Agente de Venda Directa cessa o seu negócio, a empresa deverá retomar os produtos que não tenham sido vendidos, e que estejam em condições de o serem, ao custo líquido inicial de venda deduzido de 10% para encargos.

• As empresas não deverão obrigar ou incentivar os Agentes de Venda Directa a comprar produtos em grandes quantidades.

5 - Formação
• Os Agentes de Venda Directa deverão receber formação adequada sobre os produtos; como devem desenvolver os seus negócios; assuntos legais, inclusive a legislação nacional aplicável; e sobre o Código de Ética.

• A formação deverá ser fornecida a baixo custo ou livre de encargos.

6 - Resolução de Litígios
• Aos Agentes de Venda Directa é conferido o direito a um processo de mediação sem custos, no caso de reclamações que não sejam resolvidas por uma empresa de venda directa.

Associação Europeia de Venda Directa (SELDIA)

Veja o Código Europeu de Conduta de Venda Directa: http://www.ipvd.pt/pt/etica-regulamentos.php.

Associação da Federação Mundial de Venda Directa (WFDSA)

A Associação da Federação Mundial de Venda Directa esforça-se por promover os mais altos padrões de comportamento ético no comércio mundial, promove a defesa das empresas com as vendas directas a governos ao redor do mundo, fortalece a administração nacional e regional das Associações de Venda Directa.

Veja o Código da WFDSA: http://www.ipvd.pt/pt/etica-regulamentos.php.